DATA DE PUBLICAÇÃO
10/08/2021

COMPARTILHE:

Quais os tipos de visto para Europa?

Se um dos seus planos futuros é cruzar o oceano rumo ao Velho Continente de forma definitiva, ou por mais de 90 dias, então você vai precisar conhecer os tipos de visto para Europa. Descubra a seguir quais são as suas opções!

Viajar para o Velho Continente é o sonho de muitos. Então, se você já está com a viagem marcada ou está começando a se planejar, é comum surgir algumas dúvidas tais como os tipos de visto para Europa

As perguntas para os tipos de visto para Europa são muitas: Será que é preciso um visto para entrar na Europa? Que tipo de visto eu preciso pedir? Qual o meu tempo de permanência? A gente te conta tudo a seguir. Vem ler!

É preciso algum tipo de visto para Europa?

O visto só é necessário em ocasiões especiais e para aqueles que desejam permanecer nos países por um tempo prolongado. Para uma visita de curta duração, como o caso do turismo, por exemplo, até três meses, em qualquer país da zona de livre circulação da Europa, não há a necessidade de tirar visto, exceto a necessidade de apresentar o passaporte.

Vale lembrar que os 90 dias não precisam ser corridos. Com isso, o turista pode entrar e sair dos países contados apenas os dias em que ele estiver por lá. Porém, em todas as vezes é necessário passar pela imigração. Além disso, a data que conta é a de quando foi recebido o primeiro visto de entrada.

Além disso, é preciso ficar atento, pois cada ciclo se renova em 180 dias, ou seja, se o viajante permanecer nestes países por 90 dias corridos terá que passar 90 dias fora dessa zona para que o ciclo possa ser reiniciado.

Tipos de visto para Europa – ETIAS 2023

Entretanto, o ETIAS (Sistema Europeu de Informação e Autorização de Viagem) foi criado pela Comissão Europeia com o objetivo de aumentar a segurança das fronteiras do espaço Schengen. A autorização eletrônica de viagem valerá para todos os cidadãos extracomunitários que anteriormente estavam isentos de precisar de visto para entrar na Europa, incluindo os brasileiros. O ETIAS terá seus primeiros testes já em 2022. 

O sistema, futuramente, irá beneficiar além dos brasileiros outros 59 países, que pretendem ingressar no Velho Continente a turismo, negócios ou trânsito, graças aos acordos diplomáticos que o país mantém com a União Europeia. 

Todas as 22 nações do bloco europeu que fazem parte do Tratado de Schengen e mais quatro países da UE: Romênia, Bulgária, Croácia e Chipre irão adotar o ETIAS.

Ao solicitar o ETIAS, o viajante precisará preencher um formulário on-line com uma série de informações pessoais que vão desde dados de viagens recentes, passando por condições de saúde, até condenação criminal. O sistema vai cruzar essas informações com o que há registrado em bancos de dados internacionais. Após realizar a solicitação, o prazo para a resposta, permitindo ou não a entrada da pessoa, é de 72 horas. Caso seja negado, será necessário buscar por outros modelos de vistos para entrar na Europa.

Leia também:
Como obter o visto para aposentados em Portugal
O que é uma consultoria de cidadania italiana?

O que é o espaço Schengen?

O chamado Espaço Schengen abrange 26 países europeus, 22 dos quais são EstadosMembros da União Europeia. 

A Convenção de Schengen foi adotada em 1990. Esse é um dos maiores símbolos da integração continental e garante o livre trânsito dos cidadãos dos países da União Europeia ou Mercosul, pelo período de três meses de viagem. Ou seja, um local sem fronteiras internas onde os cidadãos podem circular livremente sem que haja o controle de fronteira e sem precisar mostrar os seus passaportes e carteiras de identidade. 

Mesmo estando entre os países que fazem parte da União Europeia, a Bulgária, a Croácia, Chipre, a Irlanda, a Romênia estão fora do espaço Schengen. Estes seis países têm as suas próprias regras de emissão de vistos de curta duração.

Tipos de visto para Europa

Se a sua intenção for permanecer em um único país por um período maior que 90 dias será necessário tirar um visto, afinal todos os estrangeiros que desejarem entrar na Europa para residir, trabalhar ou estudar necessitam possuir um visto de longa duração. Além disso, é preciso estar atento com as categorias do país de destino. Ocorre que a solicitação e as regras variam de país para país.

– Visto de estudos:

Primeiramente é necessário ter em mãos um comprovante da instituição onde você irá iniciar os estudos em que conste a matrícula, pagamento de mensalidades, período de duração e qualquer outra informação específica. Esses documentos valem, por exemplo, para quem deseja fazer um intercâmbio, pós-graduação, mestrado, doutorado, escola técnica, curso de idiomas e tantas outras. 


– Visto de residência:

De forma geral, o mais comum é o visto por tempo de residência. Para conquistá-lo você precisará de um documento que certifique o direito de residência permanente. É comum que o estrangeiro precise comprovar que viveu legalmente no país nos últimos cinco anos. Essa é uma regra geral do bloco, mas vale consultar no site de imigração de cada país quais as possibilidades oferecidas por eles. 

– Visto de trabalho:

Muitos países da União Europeia facilitam o visto de trabalho para atrair mão de obra qualificada, porém os processos ainda são burocráticos. Normalmente, os consulados já possuem uma lista com as profissões que eles mais necessitam e estão realmente procurando naquele país são as chamadas “habilidades críticas”.

Então, antes de mais nada, esteja ciente da legislação trabalhista, individual, do país escolhido e obtenha a documentação e visto necessários para ficar com a situação regular. Os nomes e modelos de vistos variam entre os países, mas no geral é possível conseguir o visto de trabalho quando o tempo de permanência for superior a um ano. Em grande parte dos países, ele é dado para quem já está com a vaga garantida pela empresa. De forma geral há vistos para as mais diversas ocupações tais como vínculo empregatício, sócios de empresas, profissionais autônomos, liberais e até trabalho sazonal. 

Entre a documentação apresentada valem os contatos feitos por e-mail, avaliações feitas de maneira remota e contatos telefônicos. Ah, e se a empresa estiver interessada em você, é comum que ela mesma te auxilie com os trâmites do visto. 

– Visto de aposentadoria:

Alguns países têm um acordo bilateral de previdência social com o Brasil, onde no decreto internacional estão previstas várias coisas em comum entre os países, sendo uma delas a previdência. Assim sendo, os modelos de vistos foram criados justamente para estrangeiros que desejam se mudar, mas que querem se manter financeiramente por meio de rendas que virão do exterior como, por exemplo, a aposentadoria. Entretanto, para conquistar esse tipo de visto para Europa há uma série de exigências de acordo com cada governo.

– Visto de investidor permanente:

Portugal: Os brasileiros são a segunda nacionalidade que mais recebe o visto de investidor no país. Segundo pesquisas do governo português, entre outubro de 2012 e fevereiro de 2017, 451 brasileiros foram beneficiados com o visto. Porém, as exigências para a emissão do chamado Regime Especial de Autorização de Residência para Atividade de Investimento são muitas.

Reino Unido: O Innovator Visa é o visto para quem deseja investir na Inglaterra, entretanto conquistá-lo também é uma tarefa difícil.

Espanha: Desde 2013, o visto espanhol permite que você resida no território por 2 anos. Ele pode ser obtido em, até, 10 dias, se o investidor preencher todos os requisitos necessários.

Quais os documentos necessários?


Para que não existam imprevistos, de forma geral, os viajantes devem ter em mãos alguns documentos para os tipos de visto para Europa. São eles:


– Passaporte brasileiro com validade mínima de três meses;

– Seguro Viagem Europa; 

Comprovante do pagamento de todas as taxas;

– Comprovante de hospedagem ou carta-convite (quando, por exemplo, o turista vai se hospedar em casa de um familiar);

– Comprovações financeiras para se manter no país;

– Passagem com a data de retorno.

Quais os valores dos tipos de visto para Europa?

O gasto vai variar de acordo com os tipos de visto para Europa e o país no qual você deseja entrar. Geralmente, os sites dos consulados dos países fornecem todas as informações.

Agora que você sabe tudo sobre os tipos de visto para Europa já está pronto para planejar a viagem? E já sabe, se não tem tempo ou acha complicado juntar toda a documentação necessária, pode sempre contar com a AQUILA também na obtenção de vistos, seja para Portugal ou Itália, além das cidadanias. Se precisar de algo é só entrar em contato  através do nosso 0800 878 9600, será um prazer ajudar você a encontrar o seu lugar no mundo!

E se houver ainda alguma dúvida é só deixar uma mensagem para a gente nos comentários!

Com informações de: ec.europa.eu; quantocustaviajar.com; etiaseu.com.br; etiaseu.com.br; etiaseuropa.com; g1.globo.com; terra.com.br; vistos.mne.gov.pt; skyscanner.com.br; europa.eu.

LEIA TAMBÉM