DATA DE PUBLICAÇÃO
08/10/2021

COMPARTILHE:

Você já ouviu falar no Festival de Cinema de Veneza?

Se tem algo que marca o fim do verão europeu, com certeza, é o Festival de Cinema de Veneza. Quer saber mais sobre esse evento de atmosfera romântica e descontraída que é tão importante para a sétima arte? Então vem ler!

O Festival de Cinema de Veneza (em italiano, Mostra Internazionale d’Arte Cinematografica) não é só o mais antigo evento do mundo dedicado à sétima arte, desde 1932, como também o mais respeitado, além de ser integrado como hábito no cartaz da Bienal de Arte. O evento e as projeções acontecem no histórico Palazzo del Cinema e em locais próximos.

 

Embora o Festival de Cinema de Veneza seja anual, ele está englobado na Bienal de Veneza, uma das exposições internacionais das artes mais importantes do mundo, fundada em 1895 que é celebrada a cada dois anos. Ainda nesse sentido, a Bienal inclui eventos separados como a Exposição Internacional de Arte, o Festival Internacional de Música Contemporânea, o Festival Internacional de Teatro e outros. O evento é acreditado pela FIAPF (Federação Internacional de Associações de Produtores Cinematográficos).

 

Por lá se encontram estrelas do cinema, das artes e das redes sociais. O fato é que todos se sentem honrados em participar do festival, e desejam passar por esse tapete vermelho. Da mesma forma, todos os anos celebridades fazem suas chegadas triunfais no Lido de Veneza, a ilha onde acontece o evento, saindo de barcos prontas para a disputa dos prêmios.

 

A premiação surgiu em 1946 e tem como formato o símbolo da bandeira da República de Veneza. O Leão de Ouro é o prêmio dado ao melhor filme do festival, enquanto o Leão de Prata é destinado ao melhor diretor. Há ainda o Grande Prêmio do Júri para o filme escolhido e o prêmio Volpi Cup para as categorias de atores e atrizes, além do Prêmio Orsella para o melhor roteiro e contribuição técnica. Também foram criados o Prêmio Especial do Júri ao filme destaque e Leões de Ouro Especiais com prêmios honorários. 

 

A importância do Festival de Cinema de Veneza é tamanha que grandes filmes de Hollywood, usam o festival como uma espécie de plataforma para fazer campanha pelas estatuetas douradas. Também pudera, esse é um dos primeiros e principais indicadores dos filmes favoritos ao Oscar.

 

Aliás, o Festival de Cinema de Veneza é concorrente direta de outras duas mostras importantes: o Festival de Cannes e o de Berlim. Juntos, os festivais são conhecidos como de “Big Three”. 

 

Como foi o Festival de Cinema de Veneza neste ano 

A 78ª edição aconteceu de forma presencial de 1 a 11 de setembro, na cidade italiana.

Na competição oficial do Festival de Cinema de Veneza abriu o filme “Madres Paralelas”, de Pedro Almodóvar, um dos filmes da competição. Além dele, em 2021, a competição do Festival de Cinema de Veneza também contou com outros 20 filmes indicados à competição oficial, ao Leão de Ouro:

– Madres Paralelas, de Pedro Almodóvar (Espanha);

– Mona Lisa and the Blood Moon, de Ana Lily Amirpour (EUA);

– Un Autre Monde, de Stéphane Brizé (França);

– The Power of the Dog, de Jane Campion (Nova Zelândia);

– America Latina, de Fabio e Damiano D’Innocenzo (Itállia);

– L’événenement, de Audrey Diwan (França);

– Competencia Oficial, de Gastón Duprat e Mariano Cohn (Argentino);

– Il Buco, de Michelangelo Frammartino (Itália);

– Sundown, de Michel Franco (México);

– Illusions Perdues, de Xavier Gianolli (França);

– The Lost Daughter, de Maggie Gyllenhaal (EUA);

– Spencer, de Pablo Larraín (Chile);

– Freaks out, de Gabriele Mainetti (Itália);

– Qui rido io, de Mario Martone (Itália);

– On the Job: The Missing 8, de Erik Matti (Filipinas);

– Leave No Trace, de Jan P. Matuszynski (Polônia);

– Captain Volkonogov Escaped, de Natasha Merkulova e Aleksey Chupov (Rússia);

– The Card Counter, de Paul Schrader (EUA);

– É Stata la Mano di Dio, de Paolo Sorrentino (Itália);

– Reflection, de Valentyn Vasyanovych (Ucrânia);

– La Caja, de Lorenzo Vigas (Venezuela).

 

 

Por outro lado, fora de competição haverá “Dune”, “The Last Duel”, “Becoming Led Zeppelin” e “Ennio por Giuseppe Tornatore”. Enquanto isso, no programa “Final Cut” de Veneza, para obras em fase de finalização, estará o documentário “As noites ainda cheiram a pólvora”

 

Ainda nesse sentido, o festival distinguiu os atores Jamie Lee Curtis e Roberto Benigni com o Leão de Ouro de carreira. Já a homenagem foi feita ao realizador e produtor britânico Ridley Scott, pela sua contribuição para o cinema contemporâneo.

 

Sabe quem foram os membros do júri?

– O diretor/roteirista italiano Saverio Constanzo;

– A atriz belga Virginie Efira;

– A atriz/cantora britânica Cynthia Erivo;

– A atriz canadense Sarah Gadon;

– O diretor de documentário romeno-alemão Alexander Nanau;

– A diretora/roteirista chinesa Chloé Zhao.

 

E os vencedores do Festival de Cinema de Veneza deste ano foram:

Leão de Ouro

Happening

 

Grande Prêmio de Júri

The Hand of God

 

Leão de Prata

Jane Campion

 

Volpi Cup por Melhor Atriz

Penélope Cruz

 

Volpi Cup por Melhor Ator

John Arcilla

 

Osella de Ouro por Melhor Roteiro

The Lost Daughter

 

Prêmio Especial do Júri

Il buco

 

Prêmio Marcello Mastroianni

Filippo Scotti

 

Vale lembrar que nesse ano, o consagrado internacionalmente por “Parasita”, Bong Joon Ho, foi o presidente do júri do Festival de Cinema de Veneza, e disse em coletiva de imprensa: “Covid-19 não pode matar os filmes. Mas, olhando para trás, parece que foi um teste e mostrou a força vital do cinema. Como cineasta, não acredito que a história do cinema pudesse ser interrompida tão facilmente. Então, a Covid-19 vai passar e o cinema vai continuar”.

 

 

Festival de Cinema de Veneza e o Coronavírus

É fato que o setor artístico foi um dos mais prejudicados pela pandemia da Covid-19 devido às restrições impostas. Justamente por conta do Coronavírus, em 2020, o Festival de Cinema de Veneza viveu sua edição mais atípica com os organizadores e o diretor, Alberto Barbera, definindo um protocolo de segurança para receber cineastas, atores, diretores, equipe técnica, jornalistas e fotógrafos. 

 

“É hora de reabrir porque não podemos nos permitir ficar confinados durante muito tempo. Acreditamos que é possível. Esperamos que o festival possa se converter numa espécie de laboratório. Que sirva como exemplo para outros, que seja a demonstração de que, se forem respeitadas medidas e protocolos, é possível voltar ao cinema e a fazer filmes. “, declarou à agência EFE Alberto Barbera, o diretor do Festival de Veneza, como uma forma de otimismo e solidariedade. Acontece que o Festival de Cinema de Veneza, é o primeiro de grandes proporções a retomar uma edição presencial.

 

No ano passado, todos aqueles que estiveram presentes no Lido de Veneza passaram por uma das nove entradas com scanners térmicos, utilizaram máscaras, fizeram distanciamento social e realizaram testes. Enquanto isso, os convidados que não faziam parte de países do Espaço Schengen tiveram que lidar com medidas ainda mais rígidas evitando atividades relacionadas ao turismo, fazendo testes antes de viajar e outros todos os dias de permanência no Festival de Cinema de Veneza. Outras ações incluíam o cancelamento de público no tapete vermelho, álcool em gel à disposição do público, redução no número de cadeiras nas salas de projeção, além da desinfecção regular das salas de cinema e dos meios de transporte local. 

 

 

Nossa, dá até um quentinho no coração em saber que aos poucos a vida está voltando ao normal e grandes eventos como o Festival de Cinema de Veneza voltaram a ser realizados para a alegria dos amantes da sétima arte. E você, qual o seu filme predileto e para quem estava torcendo? Conta para a gente nos comentários, queremos saber! 

 

Com informações de: visao.sapo.pt; publico.pt; otempo.com.br; terra.com.br; medium.com; brasil.elpais.com; folha.uol.com.br; radioitaliana.com.br; cultura.estadao.com.br

 

LEIA TAMBÉM