DATA DE PUBLICAÇÃO
15/10/2021

COMPARTILHE:

6 sinais de que você está pronto para se tornar um cidadão italiano

Nós sabemos que existem inúmeros motivos que te deixam com vontade de se tornar um cidadão italiano, mas será que você está pronto para isso? Abaixo, nós listamos 5 sinais que mostram que sim. Quer saber quais são? Confira!

Se tornar um cidadão italiano é um benefício grandioso, pois ao ter a dupla cidadania reconhecida as vantagens são diversas como, por exemplo, o ingresso, estudo, turismo e trabalho. Não é à toa que o passaporte italiano está entre os 4 mais poderosos do mundo, né?!

 

Nós entendemos que você pode ter o sonho de se tornar um cidadão italiano por muitos motivos que o país oferece, tais como a qualidade de vida, ser perfeito para a população idosa, excelente expectativa de vida alta, alta gastronomia, o fato de respirar arte ou ainda por ter uma arquitetura incrível.

 

Ainda nesse sentido, é legal saber que o desejo de se tornar um cidadão italiano faz parte de boa porcentagem dos brasileiros. A Receita Federal registrou nos últimos 3 anos, um aumento de cerca de 150% a cada ano. 

 

Então, você pode até querer fazer parte dessa estática, mas será que está realmente pronto? A seguir preparamos uma lista com cinco sinais que te mostram se você já pode se tornar um cidadão italiano. Vem ver!

 

6 sinais de que você está pronto para se tornar um cidadão italiano

Abaixo, nós listamos alguns sinais que indicam que você está pronto para  se tornar um cidadão italiano e viver novas aventuras!

 

1- JÁ COMEÇOU A FAZER O PLANEJAMENTO

Antes de mais nada, pegue um papel e uma caneta e comece a listar todos os prós e contras, os pontos positivos e negativos, o que perde e o que ganha. É importante também que você chegue preparado e bem informado, inclusive sobre os problemas do destino, pois nenhum país é 100% perfeito.

 

Além disso, se for fazer uma mudança definitiva é importante que todas as suas dívidas brasileiras estejam quitadas. Outra parte importante do planejamento é deixar toda a sua documentação em dia!

   

Qual é o investimento que pretende fazer com a mudança? Analise o cenário. Faça um planejamento focado nos gastos diários que terá durante a sua permanência no exterior. E vale tudo, desde a alimentação, até o transporte e aluguel. Ainda nesse sentido é importante que você só considere morar fora se tiver uma reserva de emergência para cobrir, ao menos, seis meses do seu custo de vida. Afinal, imprevistos acontecem.

 

Morar nesse país é muito diferente de “turistar”. Por esse motivo, antes de fazer a mudança é preciso planejamento, uma vez que há dificuldades em qualquer lugar. Por ser um país de muitas opções, uma das principais coisas que você deve considerar antes de se mudar é escolher o tipo de cidade onde deseja criar um lar. Você já pensou em qual cidade deseja morar: campo, praia, cidade grande, agitada ou tranquila? Então é bacana que você escolha uma região que se encaixe perfeitamente no seu perfil e nas suas necessidades. Além disso, acontece que as casas são mais ou menos caras de acordo com a cidade escolhida. Se, por exemplo, você busca tranquilidade, economia e uma vida em família, opte por locais mais afastados longe das grandes cidades. Entretanto, se deseja uma vida cosmopolita considere Milão, Roma e Veneza. Enquanto isso, se a intenção é economizar, é preciso fugir de cidades turísticas e, para isso, uma boa alternativa são as cidades vizinhas, que mesmo sendo próximas, têm um custo de vida mais em conta.

 

Para finalizar esse primeiro tópico, você já contratou os serviços de uma consultoria de cidadania italiana? Ela será seu principal auxílio para se tornar um cidadão italiano e a verdadeira responsável por te auxiliar na obtenção da cidadania italiana, uma vez que sua equipe vai se dedicar ao processo indo até os órgãos responsáveis e fazendo a pesquisa de documentos, a montagem da pasta de documentos, entre tantos outros serviços. E quando o assunto é consultoria migratória, já sabe que pode sempre contar com a AQUILA, eleita a maior e melhor segundo os usuários do Google.  

 

Em resumo: o ideal para se tornar um cidadão italiano é sempre se planejar!


 

2- SABER FALAR ITALIANO

Você sabia que o italiano está entre as línguas mais estudadas do mundo? Ele é uma língua bem popular por sua musicalidade, além disso não há quem diga que não é bonita e romântica. 

 

Entretanto, devido a sua posição geográfica e ao fato da grande imigração, há diversos dialetos regionais no país, porém todos falam a língua padrão e apreciam muito aqueles que têm domínio do idioma! 

 

E você conhece um pouquinho do idioma? Se a resposta for sim, saiba que você ganha uns pontinhos para se tornar um cidadão italiano. O ideal é ter, ao menos, um conhecimento intermediário, mas essa não é uma regra. Se você deseja aproveitar a oportunidade para estudar, por exemplo, aprenda ao menos o básico para poder se virar.



 

3 – QUER NOVOS RUMOS PROFISSIONAIS

 Conquistar um emprego na Itália é o grande sonho de muitos que querem se tornar um cidadão italiano. Ele até pode demorar para chegar, mas com iniciativa, persistência, um currículo bem elaborado, uma carta de apresentação e conhecimentos específicos na língua, tudo é possível!

 

Já pesquisou sobre o mercado de trabalho e a demanda na sua área de atuação? Para quem está chegando na Itália, uma boa possibilidade é procurar por vagas de demanda alta entre os empregadores, mas com baixa procura por parte dos italianos, pois mesmo em momentos de crise, eles tendem a continuar rentáveis. Boa parte desses empregos na Itália são manuais como, por exemplo, padeiro, esteticista, artesão, costureiro, cozinheiro, marceneiro, encanador e mecânico.

 

Enquanto isso, o LinkedIn publicou uma pesquisa feita com 300 gerentes de Recursos Humanos italianos. Os dados mostram onde está a maior parte da geração de empregos por lá:
– Indústria 49%;
– Tecnologia da Informação e produção de software (45%);
– Tecnologia voltada para serviços (44%);
– Alimentos e bebidas (33%).

 

Ah, outra dica superbacana: tenha em mente que cada região lhe dará uma oportunidade diferente. Veja alguns exemplos:
– O Norte do país por ser mais rico, por exemplo, possui a fama de ter mais empregos.
– Em Roma, grande parte das oportunidades estão relacionadas à tecnologia da informação e trabalhos manuais.

– Em Milão, por se tratar de uma cidade industrializada, destacam-se as áreas de tecnologia da informação, comunicação, engenharia, exportação e importação, logística, vendas, comércio e desenvolvimento de aplicativos.

 

Ainda nesse sentido, se você está adquirindo a dupla nacionalidade e pretende abrir uma empresa na Itália saiba que é possível sim. Dados mostram que o país ocupa a 5ª posição entre os países europeus em números de empresas por habitantes. Na edição de 2019 do relatório “Noi, Itália” foi registrado que em 2016 o número de empresas a cada mil habitantes era de 72.4, colocando a Itália acima da média Europeia. Outra informação bem legal é que, às vezes, os ministérios italianos concedem incentivos, apoio financeiro e empréstimos em condições favoráveis a novos empreendedores, então vale ficar de olho! 



 

Leia também:
Aldeias italianas pagam R$168 mil a novos moradores

4- TEM O DESEJO DE VIAJAR MUITO

Como já citamos, o passaporte italiano é muito poderoso, através dele é possível ter acesso a outros países (todos aqueles que fazem parte da União Europeia e mais alguns) sem precisar de visto de turismo e sem enfrentar trâmites burocráticos.

 

Tudo isso graças ao tratado de Schengen, um acordo entre países que beneficia o trânsito de seus cidadãos entre suas fronteiras. São 26 os países que fazem parte do acordo.



 

5 QUER TER UMA DAS MELHORES EDUCAÇÕES DO MUNDO

Uma coisa muito interessante e que sempre gostamos de frisar é que na Itália há uma lei que garante que todos possuem o direito à educação, sem distinção e, por esse motivo, há uma série de facilidades para quem deseja estudar, além de levar em conta alguns fatores principais como:
– Proporciona vagas de trabalho;
– Diversidade de estudantes;
– Bons contatos após o curso;
– Conquistas acadêmicas;
– Acessibilidade financeira.

 

Há, especialmente, o fato de ser muito mais barato que em muitos outros países, uma vez que, nesse sistema educacional, as universidades públicas não são gratuitas, porém o valor das anuidades muitas vezes é inferior ao das privadas e varia de acordo com o desempenho do aluno e da renda familiar. Há alguns casos em que o estudante pode ser isento de qualquer cobrança. Para os estrangeiros, a taxa anual fixa costuma ser em torno de 500 euros.

 

As universidades da Itália são algumas das melhores instituições de ensino para você que está pensando em estudar no exterior e quer fugir de intercâmbios tradicionais. Alguns grandes nomes da história mundial estudaram no país. Não é à toa que a Itália figura em rankings globais e mundiais como o Times Higher Education e Quacquarelli Symonds (QS) entre as melhores instituições, não só da Europa, como do planeta. 

 

Vale lembrar que as universidades possuem tanto autonomia financeira como didática e oferecem diferentes cursos de graduação e de pós-graduação (mestrado, especialização e doutorado). O país tem tradição em cursos das áreas de moda, arquitetura, design e artes.

 

Por lá, as universidades funcionam de acordo com os padrões da União Europeia, sendo dividida em: Primeiro Ciclo, Segundo Ciclo e Terceiro Ciclo. No primeiro, o estudante pode fazer um curso de graduação com duração de três anos, como uma formação básica, ou submeter-se a um ciclo único para cursos que exigem preparo mais específico, como medicina, veterinária e arquitetura, com duração de cinco ou seis anos. Os segundos e terceiros ciclos correspondem ao mestrado e doutorado, respectivamente, e sua duração é de 2 anos a 3 anos e vai depender da área escolhida.

 

Outra coisa bem legal de te contar é que ao contrário do que vemos nos Estados Unidos, por exemplo, na Itália os alunos optam por estudar em faculdades bem pertinho de casa e não em uma cidade diferente.
 

 

6 – QUER AMPLIAR SEUS HORIZONTES E AMADURECER

Já pensou em qual será o objetivo principal da mudança que te levou a se tornar um cidadão italiano? Trabalho, estudos, aposentadoria, bagagem cultural, novo estilo de vida, segurança, qualidade de vida? Independente dos motivos, estar aberto a novas interações e culturas que vão fazer você adquirir uma experiência gigante! Exemplo disso é o fato de você só ter a si próprio para resolver tudo, desde as questões mais burocráticas até as mais simples. Sabemos que não é fácil ir morar lá fora e deixar as suas raízes, família e amigos, mas você se preparar e se tiver disciplina tudo vai dar certo. 

 

Lembre-se também que em um novo país haverá diferenças culturais seja de valores, crenças ou costumes. E elas podem ser as mais diversas: leis, regras, estrutura, afetividade, relações, comida e ensino. Ou então até mesmo de trabalho: processos, disciplina, horários, salário, promoções, reuniões, flexibilidade e outros. Então, ajuste suas expectativas e não se prenda a cultura, lembre-se de observar, escutar e perguntar. Se você deseja ter uma experiência incrível e se adaptar, é preciso compreendê-las e respeitá-las.

 

Além disso, não tenha pressa, pois não será de imediato que você conseguirá fazer amizades ou que conquistará uma posição no mercado de trabalho, e isso é supercomum! Então fique tranquilo, porque por mais que as coisas pareçam demorar ainda mais lá fora, tudo tem seu tempo.

 

E por fim, mas não menos importante, saiba que a solidão vai chegar, mas que esse será um processo natural. Estar aberto a novas interações e culturas vai fazer você ter uma experiência inesquecível!

 

 

Agora que você conhece os seis sinais, conta para a gente, aqui nos comentários, se está pronto para se tornar um cidadão italiano. Lembre-se que ter a dupla cidadania reconhecida é algo sólido que será transmitido aos seus filhos, netos e bisnetos. Um bom legado, né?!

 

Com informações de: nacionalitalia.com.br; pesquisaitaliana.com.br; eurodicas.com.br.

 

 

LEIA TAMBÉM